Haicais para Mara


a balada vespertina do r·dio
toca-me em lĚngua estranha
uma pessoa morreu

.

o velho se come ý culpa no inĚcio da noite sem tempo
sem algoz uma crianÁa morreu
e o velho chora chamando a puniÁ“o pra si

.

noite amena no sul
a garganta se enrosca em si
mais um ™ltimo grito se deu

.

a filha fala rouca ao pČ da cama
enquanto a cama anoitece
sua obscura orfandade